terça-feira, 18 de agosto de 2015

Creches no amazonas é uma vergonha

Por que chegamos ao penúltimo lugar no ranking de creches?



Esse é o trecho da matéria do Fantástico de ontem sobre a situação de Manaus em relação a creches.


“Ao redor do país, o que se vê são obras inacabadas ou atrasadas há anos. Umas ruínas em Manaus deveriam ser uma creche. A obra começou em 2012 e deveria ser entregue em 2013.


 Até agora, nada, e mais criança esperando. “Tenho netos, tenho sobrinhos que nem conseguiram vaga”, diz dona Joice. A capital do Amazonas está em penúltimo lugar no ranking de creches. Atende apenas 7% das crianças até três anos”. (http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2015/08/faltam-mais-de-tres-milhoes-de-vagas-em-creches-e-pre-escolas-publicas.html)


Sobre a matéria a Prefeitura de Manaus argumenta que recebeu a Prefeitura com uma creche só e que hoje tem 12 creches.


Dois comentários são importantes.


Primeiro. O atual prefeito recebeu de quem mesmo? Da redemocratização pra cá os prefeitos foram: Manoel Ribeiro, Amazonino, ele mesmo (Artur), Amazonino de novo, Eduardo Braga, Alfredo Nascimento, Carijo, Serafim, Amazonino de novo e ele mesmo (Artur) de novo.


Segundo. Justiça seja feita, no final da última gestão de Amazonino foram firmados convênios com o governo federal para construção de mais de 50 creches que o atual prefeito não teve vontade ou competência para executar.


A velha tática dos velhos políticos. Culpar as gestões anteriores, como se ele mesmo não fosse o responsável por uma dessas gestões e assumir como suas ações de outros governantes.


Ou seja. Os fatos só confirmam o que venho dizendo. Esse geração de políticos do passado, de esquerda ou de direita, de situação ou de oposição, não foi capaz de enfrentar com seriedade, competência e eficiência os principais problemas da nossa cidade. Se somos os penúltimos em creche é porque nenhum deles priorizou essa ação.


Enquanto eles seguem com as suas desculpas esfarrapadas, nossas crianças seguem sem creches e nossas mães seguem com a angústia de não ter com quem deixar os filhos em segurança ao saírem para trabalhar.


RANKING NACIONAL DE ATENDIMENTO EM CRECHES (CRIANÇAS DE 0 A 3 ANOS)
Fonte: TCE Rio Grande do Sul, com base em dados do IBGE 2012 e matrículas do Senso 2014
1 – VITÓRIA, ES – 81%
2 – FLORIANÓPOLIS, SC – 53,3%
3 – SÃO PAULO, SP – 48,9%
4 – CURITIBA, PR – 43,4%
5 – RIO DE JANEIRO, RJ – 38,7%
6 – PORTO ALEGRE, RS – 38,5%
7 – CAMPO GRANDE, MS – 36,6%
8 - BELO HORIZONTE , MG – 35,9%
9 – PALMAS, TO – 31,4%
10 – CUIABÁ, MT – 29,2%
11 – SÃO LUÍS, MA – 29,1%
12 – FORTALEZA, CE – 26,4%
13 – TERESINA, PI – 26,00%
14 – RECIFE, PE – 22,6%
15 – GOIÂNIA, GO – 21,9%
16 – NATAL, RN – 20,8%
17 – JOÃO PESSOA, PB – 18,5%
18 – BRASÍLIA, DF – 17,5%
19 – BOA VISTA, RR – 15,6%
20 – PORTO VELHO, RO – 15,0%
21 – RIO BRANCO, AC – 11,3%
22 – SALVADOR, BA – 11,0%
23 – MACÉIO, AL – 10,1%
23 – ARACAJU, SE – 9,1%
25 – BELÉM, PA – 8%
26 – MANAUS, AM – 7,2%
27 – MACAPÁ, AP – 4,9%

Postagem em destaque

Câmara aprova projeto sobre renegociação das dívidas dos estados e do DF

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (10), o Projeto de Lei Complementar 257/16, que trata da renegociação das dívidas do...